amazon

amazon
amazon - clique na imagem

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Amor aos Pedaços - Questionamento


Hoje é dia de Blogagem Coletiva de Rosélia, Luma Rosa e Rute. Cliquem nos links para ler mais textos sobre questionamentos.

A fase hoje: questionamentos, vem bem a calhar porque se tem uma coisa que sou é questionadora.

Durante muito tempo, ainda jovem e imatura, passava por situações que me deixavam muito, mas muito infeliz. E questionava as pessoas sobre isso; e o que eu ouvia é que era assim mesmo e que eu tinha que me conformar. Aí começou meu questionamento e inconformismo com uma situação de tristeza e sofrimento.

Acho que naquela época era comum. Vou explicar: ainda quando namorava, por ser de pouca idade e ter uma base familiar não tão presente, eu e meu namorado, que depois se tornou meu esposo, brigávamos muito, discutíamos, eu terminava, ele implorava, eu voltava.... e ficou nessa lenga-lenga até o casamento.

Mas depois de casada nada mudou, claro que não, e aos poucos foi piorando. O sofrimento foi muito, mas como uma situação assim era comum desde sempre com meus pais, achava normal, mas mesmo assim ficava inconformada. Não aceitava que uma união seria um sofrimento, uma tortura diária. E comecei a questionar as pessoas, a observar os casais; e muitos deles diziam que era assim mesmo, que não é fácil conviver com outra pessoa, porque cada um tem gênio, manias etc....

O tempo foi passando e nada melhorava... e já a ponto de explodir, conversei com aquele que sempre nos ouve e nos encaminha ao melhor caminho: Deus! E foi depois de muita reflexão, que decidi não mais viver com tanto sofrimento. Me separei.

Talvez exatamente por isso que tantos casamentos não duram o que duravam no tempo de minha avó ou de minha mãe. As mulheres principalmente, perceberam que não precisam se sujeitar a uma vida que não lhes satisfaçam, o que antigamente era impossível, pois a mulher era dependente do marido.

O que eu aprendi com todos esses questionamentos é que muitas das coisas que passamos, principalmente os sofrimentos, é porque de certa forma nós aceitamos  ou acreditamos no que nos é passado, ou colocamos os problemas nas costas como um fardo pesado e vamos vivendo, como sendo uma situação normal. Não é! Ninguém precisa aceitar ou acreditar no que lhe incomoda. Questione! Vá até as últimas consequências, discuta, e tire suas próprias conclusões.

Esses questionamentos são muito importantes para nossa vida. De certa forma vivemos em uma sociedade, com regras, costumes, manias; e é comum traçarmos uma vida semelhante com a dos outros. Mas não! O que pode ser bom para mim, para o outro é péssimo. Foi assim que cheguei à conclusão de que não basta os questionamentos com as mesmas respostas, é preciso uma atitude que modifique o que lhe incomoda.

Acho que não só em relacionamentos, mas em tudo na vida, são necessários esses questionamentos. Existem os formadores de opinião, e consequentemente, existem os seguidores desses formadores de opinião. E existem os questionadores, que com suas dúvidas, procuram respostas para perguntas que ninguém faz.

Isso é um perigo, principalmente hoje em dia em que os valores estão um pouco balançados, a mídia prevalece em muitos lares e acaba impondo um produto que para muitos não é de serventia nenhuma. O consumismo acaba sendo por puro modismo. Mas por que eu deveria usar tal produto? Que benefício ele me trará? É um questionamento. Assim como na vida pessoal, os questionamentos são necessários.

Basta ter um pouco de curiosidade e não ir aceitando tudo o que nos é imposto, geralmente por um grupo pequeno de pessoas, que dominam um mercado em benefício próprio.

E vida, cada um sabe o que é melhor para si. Escolhas nós fazemos, ou então aceitamos as escolhas dos outros, o que poderia nos deixar imensamente insatisfeitos. É bom pensar no assunto e também tomar uma atitude quanto a isso.

Por outro lado, quando nos deparamos com outro amor, esse que nós termos certeza de que agora sim, é um amor sem cobranças, com companheirismo, com cumplicidade, admiração, respeito, com grandes afinidades e que não entendemos como poderia existir tamanho sentimento; outro questionamento: o que faz com que um sentimento tão puro, tão nobre, se aflore em dois corações, a ponto de nos mover espiritualmente e se instalar em outro corpo? Será que vale mesmo a pena arriscar tudo, depois de tanto sofrimento? Será que toda aquela tortura irá se repetir? Quem sabe? Ninguém sabe; mas numa fase mais madura, com mais certezas do que não queremos e a vontade de tentar de novo e viver um amor que faz com que nosso coração acelere, alma se acalme e tudo é recíproco, por que não tentar de novo? Afinal a vida é breve, muito breve, e num sopro tudo se acaba.


17 comentários:

  1. Por cada fase que passamos na vida, surgem questionamento maiores ou menores,mas sempre importantes. Linda participação! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, Clara. Principalmente o final, o eterno questionamento do medo, do não tentar por medo de sofrer. Amar sempre vale a pena e que o amor seja infinito enquanto dure.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Os questionamentos são presentes nas variadas situações da vida, mas o importante é não deixá-los se esgotarem no vazio dos hábitos instituídos, na acomodação das mentes opacas.
    Em busca de respostas é que caminhamos na evolução de melhores escolhas para nós.
    Adorei esta oportuna conversa questionadora.Tua participação está maravilhosa.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  4. Oi Clara!
    Lindo os eu depoimento e sua participação!
    É bom ser questionadora, nos faz amadurecer. Não podemos é nos acomodar e você agiu certo, foi a luta, sofreu, mas vem tirando de letra. A vida é assim, são muitas dúvidas e poucas respostas. Não podemos é nos fechar, devemos tentar, ter o coração aberto sempre.
    Beijinhos e um lindo fds!

    ResponderExcluir
  5. "Por que não tentar de novo?"

    Belíssimo recado!

    Beijo,
    Doce de Lira

    ResponderExcluir
  6. É bom ser questionadora. Por que aceitar convençoes se as vezes nos causa sofrimentos?
    Você recorreu a Deus e usou de sabedoria.
    Na vida sempre se tem questionamentos, afinal ela está em movimento.
    Viva o amor sempre.
    Clara, tenha um ótimo fim de semana
    Zizi

    ResponderExcluir
  7. Clara,uma ótima participação!Ninguem veio ao mundo pra sofrer,é verdade!Sempre podemos buscar novos caminhos para a felicidade!Lindo e apropriado texto!bjs e bom sábado!

    ResponderExcluir
  8. Adorei Clara.
    Textos sempre clarissimos daquilo que voce sente.
    Um beijo querida. Me deu ate vontade de participar. Voce é inspiradora.

    ResponderExcluir
  9. Olá Clarinha!
    As mudanças sempre nos fazem crescer e devemos sim ter coragem de assumir e buscar ser feliz de outra maneira, ótima participação! Bjs.

    ResponderExcluir
  10. oi Clarinha....
    Por que não?
    Qual será o pior?
    Tentar e surpreender-se com a felicidade?
    Ou não tentar e ficar na dúvida eterna?
    Pensa Clarinha....
    Você é tão cheia de força, de coragem e seus textos nos trazem tanta possibilidade para questionar certos comodismos...
    Bacana....
    Tô aqui de dedinho cruzado por vc, tá.
    bjs.

    ResponderExcluir
  11. Oi Clara,
    em tempos também senti isso, que não me adaptava às circusntancias apesar de toda a gente falar que era normal.
    Até que finalmente percebi que o certo não é o comum. Anda muita gente enganada por aí, achando que a vida é a normalidade que se vive. A isso se chama sofrer de NORMOSE.
    Felizmente já me curei dessa doença generalizada. Para mim já não serve o que é normal. Acordei e depois de acordar mais ninguém consegue me adormecer de novo.
    Beijo grande para você querida.
    Dá gosto ler seus textos. Você é muito lúcida no que afirma.
    Rute

    ResponderExcluir
  12. Oi Clara,
    Questionar faz parte de todos nós,em uns mais e em outros menos.Não devemos aceitar o que nos é imposto calados,sem ao menos entender o porque e como no seu caso,não havia mesmo um porquê,imagino que seja terrível viver uma vida onde se é infeliz e nada possa ser feito para mudar.Espero que um dia todas as pessoas possam se libertar de tudo de ruim que as aprisiona.
    Uma ótima semana,abraço,=)

    ResponderExcluir
  13. Clara, essa atitude é que nos move..questionamentos vem e vão, mas se não tiver atitude, nada fica...Adorei conhecer um pouco mais de você...Beijo no coração...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  14. Atrasada, mas chegando...

    Aff, nem me fale em primeiro casamento! O bom é que aprendemos com os erros e crescemos com os questionamentos! E a vida segue...

    Beijão e tenha uma linda semana!

    ResponderExcluir
  15. A questão dos formadores de opinião é seríssima!! Antigamente existia um modelo de casamento que hoje em dia, poucos são os que ainda admitem, principalmente entre os casais que as mulheres não se deixam dominar. Mas o que vemos, mesmo atualmente, é a repetição de modelos. Assim os filhos, mesmo que não queiram, tendem a copiar os pais. Daí entra a nossa responsabilidade como educadores. Será que queremos que nossos filhos repitam os nossos erros? Por essas e outras que tentamos mudar quando no nosso dia a dia, não existe mais respeito dentro de casa. Uma lar onde o marido ou a esposa, falta com o respeito de um para o outro, os filhos tendem a não respeitar os pais ou então tomar as dores de um deles. Não acho isso saudável, pois os filhos carregarão a nossa mágoa para a vida deles. Eu encontro muito filho com raiva dos pais e isso é horrível!!
    Acho ótimo que você tenha agora um novo amor! Mas não canalizar os erros da relação anterior para a atual. Deve sempre se basear em fatos concretos e vigiar o pensamento!! O nosso pensamento pode ser o nosso maior inimigo!! Beijus,

    ResponderExcluir
  16. Luma, é isso tudo que vc falou. Esse negócio dos filhos repetirem o "modelo" dos pais é certo. No meu caso foi, mas simplesmente não aguentei e comecei a questionar se era isso mesmo que eu queria. E graças a Deus sempre fui, como muitos dizem, topetuda, bocuda e gênio difícil (tudo intriga da oposição, porque sou um doce...), onde mudei tudo... muito sofrimento, muitos traumas, mas sobrevivi.
    E estou pronta pra um novo, sem carregar nada do passado, minha vida é de hoje pra frente!

    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  17. Olá,
    "O tempo foi teu amigo
    Mandava-lhe ventos favoráveis
    Mandava-lhe o orvalho da manhã"...
    (Simone Martins)

    Gostei de vc ter falado dos questionamentos mas dando a opção correta de mudança de atitude para não cairmos no blá, blá, blá... somente... sem crescimento...
    Gosto de quem tem coragem de falar a verdade que passa na vida... muito boa a sua partilha...
    Cheguei hoje à tarde de uma Missão...
    Obrigada pelo seu lindo comentário...
    Bjm de paz

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!